segunda-feira, 10 de setembro de 2012

As Treze Famílias, O Povo, E O Miseravelmente Rico...


Realmente os algoritmos encomendados aos célebres matemáticos e estatísticos pelas 13 famílias que regem das sombras a humanidade foram exitosos à priori em desestabilizar os mercados.
Grandes bancos, financiadores de pequenos e médios colapsaram; as seguradoras não puderam acudir a tamanho desande econômico e, juntando se aos primeiros arrastaram consigo toda a indústria!
Cada país desvalorizava sua moeda, tentando salvar sua estabilidade pela exportação de seus potenciais, mas a austeridade do momento demandava protecionismo; e a baixa de uma moeda incentivava a queda da seguinte!
As tais famílias sem escrúpulos se esbaldaram nas pechinchas dos desgraçados, comprando o resto de mundo para aumentar lhes fazenda e vaidades e, quando seus tentáculos alcançaram os limites de seu interesse olharam para a devastação que criaram e tentaram torná-la cosmo outra vez!
Ordenaram a todos os governos que se aplicassem no assistencialismo, que inaugurassem obras públicas que captassem toda mão de obra necessária à reestruturação da economia; e que fosse reestabelecido o padrão monetário ouro; que lhes superabundava às mãos!
Mas a situação dos povos era irremediável todas as estruturas haviam definitivamente ruído sob o preço da desconfiança; e o povo preferia novamente o escambo à nota, todo artigo básico mais que moeda!
Houve retorno maciço à segurança da terra, sob a cessão coagida dos latifundiários; e o povo se contentava às simples satisfações viscerais; um prato de comida tinha agora mais sabor de vida!
Houve um, em meio aos descontentes... Criatura peculiar; bancário desde a mocidade, seduzido pelo manejo de maços de tamanho valor e, quando o mundo ruiu contava com respeitável fortuna!
Ele era daqueles que amava o dinheiro por todos seus significados, e antes que este perdesse o efeito, trocou tudo que tinha por posses de valor não abstrato; para se refazer logo que fosse conveniente!
Quando notou que as alterações das sociedades se acomodavam à cultura agrária, que o dinheiro já não dizia nada de influências ele se apegou ao seu passado, e trocou tudo novamente por fardos de papel moeda e os guardou em seus celeiros!
Obsessão com a fortuna desvalorizada consumiu-lhe até o pão que o alimentava!Sua família já o abandonara há tempos, quando tentou comerciar a própria filha!
Era agora figura ressequida perambulando pelas feiras de troca tentando roçar o dedo nos já raros impressos; para os enfeixar em intermináveis fardos, nos imensos seguros cofres; onde o que guardava não eram muros ou paredes, mas a indiferença pelo que é vaidade!
Das treze famílias nada mais foi conhecido. Disseram alguns que uma vez descobertos fugiram para não pagar pela ruína de tantos...
Da economia... Esta se manteria em sua singeleza cooperativa até que algum carismático grupo se alçasse à tirania!
Quanto ao louco que ajuntava tesouros sem valor... Bem...Era apenas mais um louco!


Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...