sábado, 28 de dezembro de 2013

Beiço, Uma História Real.

Manquejava de uma perna, um defeito herdado e compartilhado por irmão e irmã; vestia à moda meio grunge-punk, com jaqueta camuflada, camiseta preta de banda e calça rasgada estrategicamente nos joelhos. O acompanhava a figura magra e bem semelhante de seu assecla.
Ignoro as anteriores conversas, e, passado tanto tempo de que ouvi a seguinte me falham algumas lembranças; mas sei que passeavam por algum ajuntamento, e participavam de qualquer show gratuito quando a necessidade fez ser interrompida a conversa.
Ele abordou um dos passantes:
-E aí!
-E aí!-Me contaram que o garoto se vestia bem, e lhes pareceu simpático!
-Meu nome é Beiço, e não queria te incomodar, mas... Sabe, eu esqueci minha carteira em casa, e tô morrendo de vontade de um pito!Cê não tem um real aí pra me emprestar pra eu comprar um cigarro picado não?
O garoto respondeu prontamente vasculhando os bolsos, e, tirando a carteira grossa verificou suas notas para lhe entregar o pedido.
-Olha, eu só tenho dez reais aqui...
-Pode deixar mermão, eu vou ali no boteco, compro o pito e te trago o troco!
-Tudo bem!-Confirmou o solidário com um sorriso- Eu vou ficar por aqui mesmo, tô vendo se encontro algum dos meus amigos...
A história se seguiu mais ou menos como na conversa, e eles logo saiam da vendinha por uma rota um pouco diferente da anunciada, com um maço de cigarros e uma lata de cerveja em mãos.
-Ué “Beiço”, cê não vai lá devolver o troco do moleque não?Ele ta esperando!O cara foi mó de boa contigo e você vai dar o tombo nele?
-Na verdade eu to fazendo um grande favor pra ele não devolvendo essa grana, Ronaldo!Tô ensinando que não se deve confiar em ninguém!



Anderson Dias Cardoso.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...