sábado, 16 de novembro de 2013

Um Resto De Mundo.


 A iluminação do lugar era quase tão precária quanto a das ruas; mas ao contrário da desculpa de esta ser parte dos edifícios móveis, com todas suas diversidades de lâmpadas e espaços mal preenchidos pela logística maluca de uma sociedade orgânica, naquele lugar a realidade é que a cada foco deixava de funcionar significava para o místico proprietário que se adiantavam mais alguns instantes na contagem para o Juízo Final!
 Quando adentrou o lugar, como de costume consultou quantos corpos ocupavam aquele espaço. Contou o máximo de vinte , todas agregadas em pequenos grupos barulhentos , e sendo levemente desfiguradas pelos golpes luminosos de uma repetida novela doutrinadora da TV Estatal e nuvens sufocantes de tabaco.
Cumprimentou os que conhecia, perdeu alguns minutos detalhando a um colega de setor de como um novato havia sido mutilado ao o encontrarem vendendo alguns gramas de ouro no mercado negro, e logo que também saudou uma dívida de uma garrafa de aguardente a outro conhecido pode procurar sua cadeira de hábito.
Verificou todos os parafusos e estes continuavam firmes. Não era bom arriscar ter alguma alça solta já que às vezes algum embriagado escapava às vistas para fazer uma visitinha desconcertante a “Sala de Máquinas”, acordando as engrenagens do imenso edifício para uma caminhada desastrosa...Sempre havia algum ferido nessas ocasiões!
Perguntou pelo proprietário, se lembrando que o relógio era seu inimigo, indicaram um fliper no qual desperdiçava outra ficha e o gritou para que o viesse atender logo. O velhote resmungou um pouco, puxou o fio da máquina para que ninguém se aproveitasse do seu gasto, se enfiou atrás do balcão ajeitando as dobras do avental, o qual escondia uma ameaça em forma de piada. Sorriu amistoso.
-Um destilado!
-Claro!
-Quer que coloque essência de limão corante e gelo?
-Não, descobri ontem que é cancerígeno!
-Chumbo no ar, mercúrio nas águas, amianto nos túneis, transgênicos, plásticos, DDT... Nós já estamos condenados há muito tempo meu amigo!Não me admira que o governo esteja mandando todo mundo pra virtualidade pra evitar que percebamos que somos uma população cancerosa!Toma aí seu “refresco”; e trouxe um pouco mais de gelo e um copo de água. Pelas marcas de suor da sua camisa acho que logo você vai precisar de um soro!
-O pessoal que trabalha comigo anda reclamando muito desses calores... Talvez o lote de ração tenha vindo com sódio demais novamente!

-Mas não se envergonhe, suor é uma coisa natural!Sinta o aroma desse lugar!-Esticou o pescoço vincado e fingiu aspirar o ambiente-Vômito, fumaça, mau-hálito!Eu vivo eu um paraíso sensorial, mas esses filtros aéreos não me permitem essas pequenas alegrias!-o velho sorriu divertido de si mesmo.
Gosto disso!Dessa maravilhosa degradação que anda espreitando por ai, e tomando conta de tudo, como aquela vagabunda ali, que voltou aqui mesmo depois de eu ter lhe pedido pra deixar meus fregueses em paz... -A frase foi dita em meio à uma corrida meio desajeitada e furiosa e finalizada com um ou dois empurrões, socos, chutes e cuspidas naquela mulherzinha estranha que procurava sentar-se no colo de outro esfarrapado que esvaziava um copo.
-Ele não gosta de prostitutas- esclareceu seu vizinho de copo enquanto se contorcia todo para que o corpo do homem lhe impedisse a visão.
-Olha que saí do serviço pra me embriagar um pouco e eis que sou surpreendido por essa luta de titãs!-Este era um bigodudo ruivo com o rosto todo marcados de crostas mal saradas.
-Se a mulher resolver revidar eu aposto nela!-disse gargalhando- E que não saiba que eu disse isso ou me cobrará a cortesia do gelo e água que me trouxe!- e a essa altura todos concorriam para ver o embate!
-Mas é claro que ela não fará nada!Ela precisa de grana pra se conectar, e, depois que o governo percebeu que substituir os “bagulhos” por esses tais implantes neurológicos que criam um mundo inteiro dentro da tua cabeça, quem ainda vai correr o risco de se contaminar com um sexo barato, e cheio de frescuras moralistas se você pode se deitar com qualquer atriz dessas novelas estatais, e tudo isso acontecendo aqui?- O bigodudo, único restante dos tantos que mantinham aquela conversa vestia um sorriso cariado e apontava a cabeça miúda e vermelha-A prostituição natural faliu, à não ser por alguns desses bêbados que ainda não tiveram coragem de financiar seu implante!Quanto a essa safada, amanhã ela volta pra tentar de novo e poder se conectar por uma ou duas horas!
-Acho que o governo devia parar de subsidiar esses viciados!Ele tem abrigo garantido, comida e até a higiene que dispensam, enquanto tenho que sangrar minhas mãos e deformar minha coluna num imenso buraco para extrair minérios que vão parar em algum lugar que nem bem sei onde...
-Éden, El Dourado ou até Marte... -Disse o homem aumentando a voz e apontando a pequena multidão que acompanhavam o velhinho, que neste instante arrastava, com muito custo o corpo de rosto ensangüentado da mulher, atirando-o porta afora e descendo as grades de cromo para impedir novas investidas.
-Ele parece exausto!Mas olha aquela pose vitoriosa!Ha!Ha!Ha!
-Espero que não apareçam policias aqui antes do toque!Ainda tenho uns doze minutos antes de passar num caminhão armazém e pegar o que preciso para o resto da noite... Meu estômago ainda dói de fome!Mas, voltando aos palpites de destino pra tudo que andamos produzir, continuo achando conversa fiada!
-Tudo hoje em dia é conversa fiada!Ou você acredita no que aquela dona ali na TV está dizendo a respeito da chegada de outra cidade móvel lá pras bandas da Angola!Daí eles vem com aquela conversinha fiada de como isso vai ser bom pra economia daquele lugar miserável, e que vão civilizar ainda mais aquele lugar, mas a gente que isso é o velho papinho de colonizador... Eles vão arrancar todas as árvores, vão roubar o resto do ouro e do diamante, e vão trocar tudo isso por um passaporte pro “país das maravilhas”!
-Sabe o que mais!Eu nem to preocupado com essa merda toda!Se os boatos tão dizendo que tão evacuando o planeta, e que os da elite tão vivendo aqui no “físico”, com todo luxo que a gente anda produzindo e nos pagando com uma moeda que no futuro vai matar a gente de câncer na cabeça, ou vai nos transformar num bando de esquizofrênicos...  
-Inclusive eu vou me levantar agora e vou pra meu cubículo alugado, fazer meu loguin e gozar de tudo que me custaria alguns milhões, pelo modesto preço de um cansativo dia de serviço!
Ambos se riram, ele pagou sua conta e partiu para o veículo armazém.



Anderson Dias Cardoso.
Continua...
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...