domingo, 20 de outubro de 2013

O Homem é o Lobo Do Homem...

Eram monstros adquirido às dúzias, através do dolo de uma promessa de cura; levados dos leprosários de todas as nações; separados, mixados e pulverizados  em pequenos bandos sem afinidade lingüística...
Aquela ilha, pequeno universo de construções fantasmas, com a vida das raízes e cipós esgueirando-se por portas, telhados e janelas; destruindo algumas paredes enquanto fortaleciam não poucas estruturas!
Clima úmido, animais peçonhentos, frutas selvagens; porém muita água doce...
-Me poupe!-Dizia uma criança já falta de mão e dedos aos mais fortes que já a começavam a encarar como provável fonte de alimento; mas alguns não entenderam a súplica, e outros nem se importaram...
Não haviam minoclicina, ofloxacino ou rifampicina; e as carnes já começavam, depois de tantos dias, a se desfazerem sob os trapos precários e improvisados que haviam substituído gaze e faixas; mas não havia dor além das contrações da fome!
E foi quando  finalmente as adversidades da doença, carência alimentar, solidão, substituíram a moral pelos instintos básicos; a primeira vítima foi canibalizada!
Sim, o dinheiro havia sido bem empregado; e a caçada seria certamente excitante!



Anderson Dias Cardoso
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...