sábado, 16 de março de 2013

O Pai De Teu Pai...


Doutorou-se em engenharia genética, mas ocupava se de negócios escusos como meio de enriquecimento certo.
Havia também um casamento de fachada, e um trabalho de coleta de informações pertinentes à sua infância e convívio com seu genitor.
Essa era sua verdadeira obsessão!
Com os avanços tecnológicos já era possível uma boa reconstrução de sua história e reminiscências, mas ele aguardava o falecimento do pai.
Cuidou-o, zelosamente até o último suspiro, então se utilizou de seus conhecimentos e sua esposa de aluguel para gerar um novo pai!
Nascida, a criança recebeu todos os estímulos e impressões da vida de sua figura original, e foi pedagogicamente e, até subliminarmente, adestrado para se fazer cópia perfeita, e aí ia sendo abusado e insultado em todos seus ambientes psicoemocionais!
E o homem se comprazia em todo espancamento, desdém, e vilipêndio; e de tal prazer tomou a idéia de replicar cada desafeto para vindicar; assim como agora fazia com a diminuta figura paterna, à todas as ofensas de seus inimigos!
Furtou material biológico de algumas inimizades, e logo a casa ia se enchendo de crianças sem qualquer paridade com sua genealogia; mas ele não se aborrecia com os comentários da vizinhança quanto a diversidade da prole e as possíveis traições de sua esposa, antes, seguia feliz seu hobbie de algoz de incapazes!
Mas logo as crianças cresceriam, e, caso os traumas lhes trouxessem a covardia, ou o medo do deserde impedisse a vingança, clonariam eles o seu próprio pai, e um outro simulacro inocente haveria de pagar pelo que haviam sofrido!




Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...