sábado, 26 de janeiro de 2013

O Sabor Dos Pratos.

Tendo nascido com uma leve anomalia na região do tálamo tudo que podia apreciar dos pratos que lhe garantiam a sobrevivência eram as formas, cores e texturas, já que não havia sabor ou mesmo qualquer memória gustativa que lhe referenciasse os atrativos que deviam haver em bom prato de comida.
Comia também por conveniências sociais, sempre disfarçando a insipidez do que provava com elogios coerentes retirados de percepções, impressões e expressões dos que o acompanhavam, procurando evitar incômodos questionamentos à respeito de sua inaptidão em perceber as sutilezas da culinária e tempero.
No entanto, era em sua casa que as recordações dos cuidados da mãe faziam operar a transformação!
Dela haviam memórias impregnadas de sinestesia, e quando fechava os olhos podia sentir a quentura do amor ocupar os espaços materiais e emocionais do micro universo a que se resumia aquele instante!
Daí retirava do banho-maria a já gasta mamadeira cheia de alimento processado, e, ao postá-la entre os lábios o coração emulava o que a mente achava ser sabor, e então o homem deglutia com o mais sincero sorriso todo aquele prazer!


Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...