quinta-feira, 12 de julho de 2012

Quem é Este Teu Amigo?


A explicação de seu amigo invisível ia um pouco além de sua maturidade para lhe apresentar em características e deficiências; ela porém, não o podia o tocar, daí era óbvia sua intangibilidade!
Então as brincadeiras se davam estranhamente em cantorias de versos pausados, e apelos para que, por apreço à sua companhia o amigo representasse seu refrão, mas a boca dura se recusara tanto que a brincadeira perdera a graça!
A estranha relação cotidiana também exigia que a menininha alteasse muito a vozinha estridente, mas o resultado eram muxoxos e resmungos, ela dizia ser impossível a conversa, pois o amigo parecia surdo, e se lança-lhe a extravagante e colorida bola a vista parecia sempre distante!
Em minha preocupação paterna sentei a pimpolha no calor amoroso do meu colo, e perguntei identidade, aparência, filiação, idade, e tudo era normalidade e identificação infantil; menos a descrita desorientação dos olhos vazios e tristes do infante, e o rodear em seu próprio eixo!
Então, a imagem se refletiu no mar daqueles olhos pequenos, e meu beijo libertou a criança doente de suas amarras, e então, me decifrando por sentidos alheios me permiti voltar a minha infância.
Visitamos juntos o parque, e meu brinquedo favorito naquele dia!

Anderson Dias Cardoso.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...