domingo, 22 de abril de 2012

Eu Sempre Tento...

Eu quero o pouco; o que nem se faz conta!
Margeio as modéstias da vida para aprender a me desprender...
Se vejo a fome alheia, me compadeço; e divido do pão que me resta para ver viver os olhos do estranho.
Não há perfeição, ou tentativas do consolo da moralidade comum, mas a contemplação das misérias compartilhadas, ainda que involuntárias; onde o homem se tornou o mal de si para outrem!
Dou-te um abraço, e este não é somente para que te aqueça, mas, para lhe enternecer a alma endurecida!
Afago os cabelos que o vento revoltou, e os afasto dos olhos para que contemple minha tão pouca sinceridade.
Sou ainda tão falho!
Uma humildade que luta pelo direito de seu nome!
Um coração que bate, e falha os descompassos envergonhados de quem não mente...
Ao menos, para si!

Anderson Dias Cardoso.

3 comentários:

Guria Faceira disse...

olá guri

bem adorei
o importante é tentar
é deixar no abraço bem mais q um abraço
olhar com olhos mais atento a toda realidade
envergonhando-se ou não
a realidade esta ai
e adorei o post

bjimmm Sr Dias kkkkkkkkkkkk
tbm sou Dias

Célia disse...

Que lindo texto! E que ser humano se revela nestas linhas! Lindo, lindo! Parabéns!

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo"-F.P- disse...

Isso é uma poesia em prosa, muito bem contada... Ah!!!
Palmas, palmas, palmas...

P.S: Todas as vezes que leio seus contos minha avó pensa que estou cantando os parabéns para o computador... kkkk
Até mais ler.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...