terça-feira, 11 de agosto de 2015

A Mais Profunda Solidão.


A mosca sobrevoava o asilo, e não notando lugar mais agradável, pousou em uma das finíssimas pernas daquele homem solitário. Ela a amou. Levou uma tarde inteira, passeando por seus poucos pêlos, e saltitando por entre os vincos de sua surrada pele; tão grande era a tristeza e vazio daquele gigante encarquilhado, resolveu-se por deixar-lhe um filho!O homem a compreendeu, ou achou tê-lo feito, já que sua voz diminuta e rouca não lhe chegara bem, impedida pelas músicas e anúncios do carro de som que seduzia ou irritava a vizinhança.
Dias depois a larva crescia forte e saudável, em meio ao inchaço da pele. O homem, vez em quando, a convidava a sair, com um pequeno e sedutor pedaço de toucinho; ao qual a "criança" gorda sentia o cheiro, e se contorcia de alegria até saltar à luz!
O velho senil não se sentia mais só. Já havia juntado, do que sobrara da aposentadoria e seus gastos com a estadia naquele lugar, e pedira que o enfermeiro o levasse para registrar o menino.
O nome seria Bernedito!




Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...