domingo, 26 de janeiro de 2014

Demagogia, Do Princípio ao Fim.


...- como te disse, foram três abortos, acho. Tá tudo escrito na ficha que me deram pra preencher!Uma consulta tão cara e você nem se deu ao trabalho de ler a maldita ficha?
-Senhora, eu trabalho com um sistema de atendimento humanizado, e estou conferindo as informações solicitadas no prontuário para verificar se houve algum equívoco, omissão, ou mesmo se a senhora gostaria de acrescentar algo, como informações de ascendentes, que nos auxiliariam a detectar algum possível defeito congênito. Queira se acalmar, ou terei que chamar seu marido para a retirar, e acho que isso o aborreceria bastante!
-Mas... Mas o senhor não pode fazer isso comigo!Meu marido é o prefeito, e estamos acertando com o partido a candidatura ao governo do Estado!
-Sim. E se eu tornar público essa maluquice toda a qual estamos tratando aqui, no máximo volta a ser um vereador na cidadezinha obscura onde nasceu!
-Você não pode fazer isso!É juramentado, e além do mais, eu te processaria!- gritou a mulherzinha enfurecida.
-A senhora conhece Alfonso Hernandes Castelo?
A mulher tremeu os lábios, cravou as unhas esmaltadas no couro da poltrona e sentiu uma lágrima de pavor umedecer-lhe a maquiagem. Apanhou um lencinho perfumado, baixou a cabeça para se limpar. Sentiu que o homem sorria, então se apressou em se recompor.
-Como eu dizia, eu me casei muito nova, e meu marido havia sido empossado como vereador. Um cargo bom, bem remunerado, e que exigia pouca frequência...Eu era jovem, e muito fértil, e um filho àquela altura só atrapalharia meus planos!Queria visitar a Europa!Todas as mulheres dos outros vereadores diziam que conheciam umas lojinhas de bolsas artesanais na Holanda... Já te contei que meu avô era holandês, não é mesmo...?Eles têm flores lindas por l. - O homem havia franzido o cenho, e consultou o relógio.
-A senhora dispõe de mais dois minutos.
-Depois dos três abortos, mesmo numa clínica especializada, eu sofri uma pequena hemorragia. Eles disseram que não era nada.Os exames não apontaram nada, mas, nunca mais consegui engravidar!Às vezes acho que foi um castig...
-E a senhora quer que eu manipule o DNA para liberar as características fenotípicas negroides na criança. Posso saber por quê?
-Fenoquê?
-Por que a senhora quer um negrinho, já que ambos são brancos? Digo, por que não simplesmente adotam?
-Já cogitamos isso, mas meu esposo prefere ter seus próprios filhos, além do mais, nem sabemos de onde vieram a maioria dessas criaturas; o passado dos pais; se são viciados, ou carregam alguma doença... Meu marido acha que uma criança negra repercutirá bem na campanha, mas queremos fazer tudo com a maior segurança e discrição...
-A adoção de um filho legítimo de cor!Uma jogada de marketing interessante!
-Obrigada, doutor!Estamos nos esforçando pra alcançar a presidência!
-Como lhes disse, o processo ainda é muito recente, e ambos assinaram um termo de compromisso que nos isenta de qualquer responsabilidade no produto final do procedimento.
-Sim.Nós temos consciência disso, mas sabemos que valerá à pena!E em caso de algum contratempo, minha gravidez será passada no Canadá.Existem boas clínicas de aborto por lá!
-A senhora é mesmo muito perspicaz!Então, sucesso para ambos!-disse o homem já estendendo a mão para o aperto- Se não se importa, tenho uma outra paciente me esperando. Minha secretária lhes passará uma lista de exames, e em quais clínicas devem ser feitos. Eu os encontro dentro de uma semana, para coleta dos materiais para a inseminação.
A mulher a apertou, meio ressentida a mão do ginecologista e o deixou apressadamente. Estava muito eufórica, e confiante.



Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...