domingo, 26 de agosto de 2012

Sentimentalmente Insensível,Socialmente Viável!


Sofria de analgesia congênita e embotamento emocional, no entanto os argumentos racionais de pais preparados o demoveram do isolamento, convencendo de que havia um mérito na produção e interação que excedia a falta de estímulos que sentia!
Graduou-se então nas letras, não seguindo as aptidões em exatas tão celebradas pela família; e, tentou entender as complexidades dos humores humanos de forma mais intuitiva e espontânea do que em tratados de psicologia.
Experimentou relacionamentos, para provar a normalidade; conquistando sem ser tocado, e prosseguiu até o casório de unilateralidade sentimental; a esposa feliz pelo reconhecimento dos esforços, responsabilidade e fidelidade ofertados com sinceridade como substitutivos da passionalidade!
Contribuiu socialmente, economicamente; com serviços, caridade e impostos, à despeito de sua nulidade em qualquer prazer ou pena!
Foi incompreendido pela impassibilidade dos gestos, ostracionado pela relativa indiferença de quem não se move por interesse escusos, e assim, pôde selecionar seus poucos convívios com a razão mutualista saudável à todos interessados!
E ele ainda foi moído por punhos preconceituosos, apedrejado algumas vezes, por simples crueldade de quem tenta notar se ele realmente não reconhecia o próprio corpo; e muitos o provocavam, o difamavam, o ofendiam...
Mas era sempre deboche sem o prazer do riso, era zombaria inútil aos seus sadismos:
Ele nada sentia! 
 
 
Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...