segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Canibais...


Tudo se deu quando começaram a ser noticiadas uma série de reportagens que pareciam ter sido gravadas à uns dez anos sobre uma tal tribo antropófaga que havia sido descoberta em algum lugar na Amazônia; eram estes índios robustos e de dentes perfeitos a qual se dizia chamar Ibuabiru; que em sua língua quer dizer tribo dos anciões, e tais anciões  pareciam deveras vigorosos, lúcidos e sorridentes.
 Um repórter se aproximou de um grupo que contava seis multicoloridos espécimes e entabulou uma animada prosa e alguns segundos depois suas feições se espantaram e
ele parecia tentar confirmar alguma coisa com aqueles silvícolas de cabelos negríssimos, rosto pintado por um corante azul e vermelho em finas faixas horizontais paralelas e um ponto amarelo na testa, e, atordoado o repórter se agarrou ao seu braço olhou meio abobalhado para câmera dizendo:
Esse homem tem 85 anos!É inacreditável!!!
E realmente era inacreditável mesmo, pois aquele homem no máximo aparentava ter 23
anos!
Perguntaram qual era o segredo da sua longevidade, então ele replicou com aquela voz gargarejante, em sua própria língua, que seus velhos tinham uma sobrevida de 237 anos em média, e que achava que isso se devia ao consumo que faziam da carne dos seus oponentes, os índios vencidos de outras tribos; sorriu com aqueles dentes enormes e brancos, e o repórter arrematou a reportagem com algumas considerações, logo seguiram a previsão do tempo e os comerciais.
Já por toda parte podia se ver as bancas abarrotadas de exemplares de revistas com aquele rosto simpaticamente colorido, o último quadro daquela entrevista fantástica! Essas iam desde revistas de fofocas até periódicos científicos, e as notícias variavam de, uma suposta árvore genealógica que os ligava aos primeiros povos da Mesopotâmia à descoberta da proteína; encontradas na carne das tribos que foram consumidas, da qual
conseguiram uma amostragem interessante para estudo, mas nas edições seguintes as atenções foram voltadas para as propriedades que alegavam retardar o envelhecimento, e a esta deram o nome da tribo.
Falou se muito a respeito daquele povo, e foi dito que haviam sido tomadas medidas de precaução para a preservação da mesma tendo a deslocado para um lugar seguro, onde cuidavam em  preservar sua identidade cultural, não sendo explicado de onde vinha a carne, tão importante para sua dieta milagrosa.
Alguns boatos apontavam o sumiço de alguns indigentes, mas isso não importava muito; o governo havia  proposto uma parceria com os maiores biólogos, físicos, e com várias indústrias farmoquímicas e que tinha sido mantida em segredo até então, procurando isolar a tal proteína, e os responsáveis por estas foram chamados para prestar esclarecimentos a respeito dessas pesquisas e seus discursos concordavam uniformemente com os avanços, sendo o único problema a não dissociação da proteína das demais substâncias encontradas na carne, e em seu ponto de vista o resultado da longevidade só seria alcançado se se utilizasse dela na sua totalidade surgindo então o termo "Carne Integral".
E assim como a primeira apresentação televisiva levou o assunto ao conhecimento da população, essa nova apresentação impulsionou uma discussão a respeito do assunto e foram repercutidos vários aspectos da utilização da carne humana no cardápio de seus semelhantes, como esta como  meio de prolongar a vida, outros  mais práticos como a utilização conjunta das proteínas animais e humanas como complementos, já que os rebanhos animais não já conseguiam acompanhar o crescimento populacional, e ainda aspectos morais e espirituais implicados no consumo do corpo de outro humano!!!
Houve um bombardeio dos meios de comunicações, filmes, novelas, desenhos, periódicos passaram a apresentar a idéia com uma leve simpatia, e agora quando sumia alguma pessoa na comunidade logo se dizia que tinha sido jantada, e procurava se a pessoa mais
velha da vizinhança pra lhe atribuir a culpa e com risinhos nervosos se espalhavam as fofocas, no fundo as pessoas não achavam tão absurdo sacrificar uma outra vida se com isso tivessem sua existência estendida, ainda mais quando se noticiou que em algum
lugar na China já se consumia algumas milhares de toneladas de "carne amarela" por ano, carne obtida de criminosos, indigentes, e que era processada da seguinte forma, antes de ser vendida aos melhores restaurantes do país:
Primeiro analisava se o perfil físico, histórico de doenças tanto físicas quanto psíquicas, que podiam tornar a carne imprópria para o consumo e também identificando substâncias que alterariam o paladar dos "candidatos".
Uma vez aprovado, o preso iria para uma espécie de SPA onde receberiam um tratamento que livraria sua carne de toda e qualquer impureza, eliminaria as toxinas absorvidas das substâncias que ingeriam como cigarro, bebidas alcoólicas drogas, diminuíam a concentração de gordura corpórea através de exercícios, enfim, davam um
tratamento digno ao futuro devorado.
O governo insinuava que essas medidas poderiam ser estendidas aos orfanatos onde não se conseguiam fazer com que todas as crianças fossem efetivamente adotadas.
Isso seria benéfico no ponto de vista da segurança assim como diminuiriam a possibilidade de uma super população, o que significaria mais empregos, menos violência, e  um ainda maior tempo de vida, além de aumentar a quantidade de "carne" no mercado resultando em preços melhores!!!
Ouviu se então que havia um círculo de atores em Hollywood que já se utilizava dessa prática há muito tempo! Houve uma certa revolta da sociedade ocidental, mas os atores suspeitos saíram em sua defesa desmentindo o burburinho, enquanto novos boatos a respeito de outras celebridades eram lançados todos os dias, e curiosamente, apesar dessas pessoas negarem consumir carne humana o tempo lhes parecia muito generoso, e logo eram alvo de invejas, e uma beleza como daquelas pessoas justificaria qualquer "sacrifício"!
Alguns anos depois a idéia do uso da carne humana foi se popularizando, a maioria não admitia abertamente ter experimentado, porém "não condenavam" quem por ventura tivesse o feito. Outro fato interessante foi o aumento da venda de espelhos, e tornou se também muito comum os convites para jantar, onde não muito raramente o convidado não voltava mais para a casa; porém ninguém dava muita bola para isso, pois se hoje lhe devoravam um filho isso lhe serviria de pretexto para devorar o filho do vizinho, além do mais uma vida mais longa podia lhe proporcionar uma prole vastíssima se assim desejassem!!!
Um efeito maléfico foi à diminuição da população, visto que já não se consumia somente os inconvenientes à sociedade, mas qualquer um que "desse bobeira"!
Os sindicatos produtores de carne, e dos açougueiros logo que começaram a notar o sumiço de varias pessoas na cidade e prejuízos em seu ramo  foram reclamar ao governo, que por sua vez decidiu regulamentar o consumo de carne, alegando que o abate não estava sendo feito com a devida higiene, podendo causar problemas de saúde, então passou a construir abatedouros locais para onde eram enviados aqueles que, mediante exames preliminares feitos por médicos do Estado, eram liberados para
consumo (os indigentes e infratores foram repassados sem tratos dispendiosos à indústria de ração), logo após o termino da construção desses abatedouros sua administração foi repassada à iniciativa privada como meio de apaziguar seus patrícios; e logo, podia se levar um filho à eles e voltar para casa com um bom pernil!!!
Alguns movimentos se ergueram contra a tendência antropofágica! A igreja lutava pelo ser humano; feito à imagem e semelhança de Deus, porém o setor interessado lançava campanhas caluniosas torcendo os textos sagrados e afirmando que na ceia os cristãos também consumiam carne humana, por outro lado os ativistas do Greenpeace foram utilizados como massa de manobra com slogans como: "A vingança dos nossos irmãos animais!".
Um planejamento mais racional então foi desenvolvido:
Passou se a implantar chips de controle e identificação do rebanho humano para evitar um comércio no mercado negro, (o que serviu também para vigiar as liberdades alheias e ,coincidência ou não, surgiu ai um movimento de repressão "justificada”; algumas vezes não tanto assim), instituiu se uma cota regional de pessoas a serem abatidas para que o mercado de serviços não ficasse deficitário; o ônus dos exames de aptidão para consumo, antes dividido entre Estado e fornecedores foram agora passados à competência exclusiva dos segundos, o modelo se mostrou tão eficiente que logo foi engolindo todo o mundo; controlando a economia, reprimindo os sindicatos, e monopolizando o mercado de trabalho...
Quanto à carne, algumas pessoas, não conseguiam notar nenhuma melhora na condição
física dos seus pares, e a grande maioria das pessoas daquela geração morreram muito jovens, com seus 72 anos, e à boca pequena se dizia que essa estória de comer carne humana era uma forma de controle populacional por parte dos grandes bancos, corporações e Governos, com evolução à um controle total da humanidade através de ideologias Darwinistas, Manipulação de Mercados e  dispositivos eletrônicos tendo a falta de afeto por seus semelhantes como um instrumento de delação eficiente, dizem também que nenhum dos representantes do Estado e das Multinacionais havia mesmo
provado a carne humana, e que se riam e citavam Thomas Hobbes:
"Realmente o homem é o lobo do homem!"...
Sorte que  ninguém acredita nessas besteiras!

Anderson Dias Cardoso. 


Anderson Dias Cardoso. 
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...