segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O Ninja!


Guerreiro do oitavo dã de Cajutso (uma milenar arte marcial envolvendo jiu-jítsu e capoeira, desenvolvida em um templo xintoísta secreto lá pras bandas de Mulungu, há uns 10 anos), filho exemplar, dono de uma banca de revistas underground pouco visitada, à qual deixava vez em quando sob os cuidados do sobrinho Cíço (menino ruim de conta; sempre passava troco errado!), para executar contratos de morte em qualquer lugar do Estado.
Naquele dia outra encomenda. Endereço, foto, passagem interestadual,vale-transporte, tíquete-refeição, a promessa de um pequeno rebanho de caprinos e o aluguel de pasto garantido até o fim do ano.E lá estava ele, descendo de uma lotação redundantemente lotada, no centro escaldante de Fortaleza.A roupa era preta, corpo inteiro; corpo inteiro mesmo; se bem que os olhos arredondados, maquiados com um traço mais obliquo saltavam do capuz como uma imitação constrangedora de um olhar oriental.
Perguntou e conferiu o endereço umas oito vezes, se sentia meio inseguro, mas continuou até que as informações o levaram ao prédio do Deputado. Algumas pessoas se sentiam incomodadas com o par de katanas penduradas no lombo, mas no fim, relaxavam.Todo mundo gosta de ninjas!
O prédio era monumental (ao menos para um interiorano), e havia um tumultuo por conta dos turistas, logo vencido e transformado um corredor meio irregular de curiosos. Tirou várias fotos, pediu alguns copos d’água para se manter no meio daquele tumultuo, mas foi se desfalecendo à medida da intensidade daquele calor!Por sorte, o forte cheiro exalado pelo tingimento da roupa preta, embebida de muito suor, acabou afastando dois terços das pessoas, e assim pôde alcançar o balcão.
-Reserva?
-Sim!
-Em nome de quem, macho?
-Raimundo Battousai.
-É não, macho!Eu assistia o desenho!
-É sim!
-Battousai é título!
-É nome!Toma aqui meu “resistro”!
-Macho, vai me “desculpá” mas esse seu “resistro” parece verdadeiro não!
-Tá duvidando de mim, macho?Pesquise aí!Pesquise aí nesse tal de Google aí que eles vão te falar direitinho!Fui “resistrado” no Cartório de 2° Ofício da cidade de Aracati!Pode perguntar aí no computador que eles vão informar direitinho!
-É não, macho!Tem isso aqui não!Cartório de 2° Ofício de de Aracati é de “resistro” de imóvel!
-Pro... Procura aí então:Cartório do Seu Alipino Gonzaga da Cruz e Silva!Vai logo macho, que eu tô me impacientando contigo!
-Tem isso aqui não,macho!
O ninja então sacou dos seus fundos emergenciais algumas notas de cem, olhou para um lado e outro e as depositou no balcão.
-Raimundo Battousai!Olhaí direito,macho!
-Ah!Num é que o senhor estava certo!Olha seu nome escrito aqui!-E foi o digitando no livro de entradas. Quando partiu para o quarto, que pelo número  certamente era muito mal localizado, o rapaz gritava de seu posto desejando-lhe uma ótima estadia!
O percurso fora meio sinuoso, e descia ao invés de subir, mas não via a hora de “jogar uma água no corpo”, trocar a roupa de baixo, e descansar alguns minutinhos.
O quarto era bem simples.Cama, criado mudo, um abajur e uma foto sorridente do moço impertinente que lhe havia atendido.Não havia ar condicionado.Ficou um pouco nervoso com o golpe, mas alguns minutinhos de meditação resolveriam bem seus sentimentos.Não havia telefone para serviço de quarto, e parecia que ali, mesmo seu celular não encontrava sinal.O estômago o incomodava um pouco, mas o corpo estava exausto.Bebeu um copo d’água para enganar a fome, e cochilou uns minutos...Ao todo foram uns 367 deles, nos quais, não sabia ao certo porque, sonhara com a cachorra Baleia!
A roupa ainda estava um pouco úmida e com um característico azedume.A boca amargava, e a fome persistia. Saiu do quarto e tentou se situar.Apesar de ninja, seu aparelho biológico de geolocalização parecia enguiçado desde criança!Era comum ligar para alguém para se encontrar, ou, que ligassem atrás de alguma notícia sua.
Aqueles corredores eram um pouco mais hostis do que o ambiente lá de cima. As pessoas estavam sempre ocupadas, nunca sorriam, e pareciam desconfiar daquele homem vestindo aquelas roupas estranhas.Provavelmente nunca esbarraram com um cosplay para ter a noção do que era verdadeiramente ridículo!Andou, andou, e continuava a se perder como de costume, até que encontrou a escadaria sem corrimão que seguia perigosamente para os andares superiores.
O fluxo de pessoas ia aumentando.Movimentos de gente bem vestida saindo para aproveitar aquele começo de noite, outros se encaminhando, em seus trajes de banho, para se refrescarem e exibirem o resultado de seu regime e malhação à beira da piscina.Pensou em quantos deles voltariam a ostentar o corpinho de “leitão” após aquele período de férias!Pensou também em ficar apenas de máscara, e levar consigo uma das afiadas katanas que trazia consigo, mas eis que o homem logo apareceu diante de si!
Era baixo, calvo, peludo, pálido, pernas arqueadas, unhas roídas, sorriso com dentes demais... Mas o roupão que ostentava era de muito bom gosto!
Tentou se aproximar, mas foi barrado por dois seguranças enormes.Pensou em sacar as lâminas e tingir as paredes de vermelho, mas sua profissão prezava pela discrição!
Disse uma ou outra palavra em um japonês com sotaque nordestino e os homens responderam com gargalhadas, que acabaram por lhe favorecer de alguma forma, pois despertaram a curiosidade do Deputado!
-De onde vem, filho?
-Sou natural de Nagazaki, seu Deputado!
-Hum...Por isso os olhos estranhos, e esse sotaque!Tá explicado!Há!Há!Há!-Piscou para um de seus protetores.
- Já pensou em se candidatar, filho?Hoje em dia, figuras como você fazem muito sucesso!Você pode nos ajudar a eleger um ou dois...
-Desculpe, mach...Senhor!Minha mãe está me pagando um curso de massagista!Não levo muito jeito com gente!Fico nervoso!
-A roupa de um homem diz muito sobre ele!-Sorriu com uma leve pitada de ironia.
-Muito agradecido Vossa excelência, mas prefiro amaciar o lombo dos outros!
-Espero que vote em mim na próxima eleição!
-Só se me der a honra de massagear Vossa Senhoria!
-Agora estou meio sem tempo, meu filho!-Disse com um sorriso simpático- Quem sabe no ano que vem!
-Minha família é grande!Somos em treze só lá em casa, imagina o resto!
-Ôpa!Se não for demorar muito!
-Nada,macho!Eu aprendi uma técnica com um monge lá de Limoeiro do Norte que só carece uns toques!Nem precisa deitar!E olha que ele cobra setecentos reais a sessão!
Deputado perguntou o quanto do roupão era necessário despir. Soltou a amarradura e expôs a barriga peluda, a qual havia sido solicitada.O ninja tocou rápidamente alguns pontos vitais, repetindo-os nos agora não tão impertinentes capangas!Aquele era o famigerado (entre seus pares, é claro), e terrível golpe “polegares orientais do jegue sagrado”. Logo um discreto “nó-nas-tripas” lhos acometeria; e os legistas certamente culpariam aquele modo de vida tão desregrado que notadamente levavam!
Pediu para fazer um selfie com a vítima, se despediu do grupo e foi procurar pela rodoviária mais próxima. Mal podia esperar para receber suas cabras!



Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...