segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O Mercado.

A pobreza não o permitiu deixar imóvel, ou algo de valor e ele sentiu o alívio quando assinou a papelada e conferiu a conta, agora, respeitável.
A negociata era mais segura que apólices e prescindia de qualquer formalidade e investigação e fora indicado por quem se utilizara com parcimônia destas trocas.
Sentiu-se desconfortável, eles, um tanto felizes e ele terminou seu caminho abraçado à um desconhecido coberto de branco limpo.
-Me orgulho de sua coragem e altruísmo... não menos que seus filhos e esposa, aposto!-Foi a única frase guardada, de todo encorajamento proferido.
Na sala estéril o deitaram na mesa.
Era homem saudável, de pouca bebida e nenhum outro excesso e lhes serviriam bem ao menos o coração, rins, córneas, e fígado...
Salvara de uma vez sua família, e uns outros tantos desconhecidos.

Anderson Dias Cardoso.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...