domingo, 22 de maio de 2011

Um Fim Alternativo.


Entregues ao belíssimo jardim puseram se a explorar as possibilidades do lugar com toda gana sensorial recém criada e descoberta.
O criador sorria enquanto os guiava e apontava esse sabor, aquela textura, uns tantos cheiros e muitas outras  vidas!
-São suas!
-Como?-Soaram as duas vozes em uníssono.
-Todas existências e possibilidades!Criei-as para vocês!Tornem se um grande povo e dominem sobre minha criação!
-Nós o amamos!
-Não mais do que eu! Mas recomendo que não comam daquela árvore!
-Qual seria o motivo?
-Uma espécie de conhecimento!Ele os fará a independentes...Os fará grandes; mas suas grandezas terão o ônus da diminuição de seus irmãos, e finalmente tentarão suprimir minha presença de suas vidas!
-De forma alguma Senhor!Lhe somos devotados de todo o coração!
-Sei que são!
O sorriso foi nublado por algum pensamento triste, e Ele se despediu e partiu prometendo voltar na viração do outro dia.
-Eu os darei a dádiva de conhecerem o tamanho de minha graça através de uma outra realidade.
O casal não compreendeu, não questionou, não se importou, mas o dia convidava a um passeio; e o clima, a um banho!
Adão dormia e Eva se enfeitava com flores, e se mirava num remanso e sorria de suas novas cores, e uma voz disse doçuras por detrás do tronco da árvore.
Era uma criatura graciosa, colorida e alada. Desceu preguiçosa para mais perto para que sua voz soasse melhor.Perguntou da fome e a ofereceu um pomo, outro ainda, e por fim aquele proibido, mas ela recusou!
-Além de saciada poderás ser como Deus!
Os lábios tremeram, e a mão tímida se estendeu para apanhar sua desgraça!
O gosto era excelente, assim como todos os outros mas o susto do assalto da mão possante de seu companheiro quase a fez engasgar!
-Por que fez isso!??
-Quero minha independência!
-Se é assim, quero me emancipar também!Não só de Deus, mas também de ti!-E a maçã desceu garganta abaixo!
A lucidez veio como um gosto amargo ao paladar, e na inquirição do dia posterior ambos se entregaram, e também a serpente! A sentença devia se cumprir, assim como as maldições que naturalmente acompanhavam aquela rebelião.
O relacionamento não sobreviveu à mágoa  da tentativa  de suplantarem um ao outro   e apartando-se não mais se viram, e ao cumprirem seus dias pereceram pelos seus pecados; e com eles toda a humanidade!


Anderson Dias Cardoso.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...